O Rappa - Discografia 'Acústico MTV'

O Rappa

RSS

2005

Acústico MTV


Acústico MTV

Compre online

Download no itunes

Lançamento: 2005
Gravadora: Warner Music

1 Na Frente do Reto

Na Frente do Reto
Marcos Lobato, Marcelo Falcão, Xandão, Lauro Farias


O show tá começando

Anote tudo que puder
Anote tudo que ver
Não se sabe o que sucede
O que pode acontecer

Detalhes fazem
Fazem diferença
Detalhes fazem
Toda a diferença
E é bobagem
Já é tarde
Esqueça!

Quando estivermos
Na Frente do Reto
Fique esperto
Calado e quieto

De cara inchada
Você ainda enxerga teu vacilo
Se ficou tudo roxo
Teu destino acaba frio
Se foi Deus
Alguém que inventou
Sete ventos de palavra-chave
Não interessa o jogo andou
Você tá no domínio
Agora tá no dominio

O seu banco afundou
Tu foi demais!
Tu rodou, tu rodou

Se a noite é calada
O lugar é de fuga
Acabou pro rajá
Vida passou toda junta
Tu não é alemão
Mas parece
Professor do medo
Da dissimulação
É isso mesmo, é cerol
É nós que somos escrotos
Os que fazem o serviço
E todo serviço porco
Praticantes do vício
Tu não viu, nem imagina
Não é vício, não é novela
Não é coisa da China


2 Mar de Gente

Mar de Gente
Marcelo Falcão, Marcelo Lobato, Xandão, Falcão, Marcos Lobato


Brindo a casa
Brindo a vida
Meus amores
Minha família

Atirei-me ao mar
Mar de gente onde eu mergulho sem receio
Mar de gente onde eu me sinto por inteiro

Eu acordo com uma ressaca guerra
Explode na cabeça
E eu me rendo
A um milagroso dia

Essa é a luz que eu preciso
Luz que ilumina cria e nos dá juízo

Voltar com a maré sem se distrair
Tristeza e pesar sem se entregar
Mal, mal vai passar, mal vou me abalar

Esperando verdades de criança
Um momento bom comum
Voltar com a maré sem se distrair
Navegar é preciso se não a rotina te cansa
Tristeza e pesar sem se entregar

Interesses na Babilônia
Viram nevoeiro
Poços em chamas
Tiram proveito
Passa, passa, passa
Passageiro
A arte ainda
Se mostra primeiro

Uma onda segue a outra
Assim o mar olha pro mundo


3 Brixton, Bronx ou Baixada

Brixton, Bronx ou Baixada
Marcelo Yuka, Nelson Meirelles, Xandão, Marcelo Falcão, Marcelo Lobato


O que as paredes pichadas têm pra me dizer
O que os muros sociais têm pra me contar
Porque aprendemos tão cedo a rezar
Porque tantas seitas têm aqui seu lugar

É só regar os lírios do gueto
Que o Beethoven Negro vêm pra se mostrar
Mas o leite suado é tão ingrato
Que as gangues vão ganhando cada dia mais espaço

Tudo, tudo, tudo, tudo ,tudo, tudo, tudo igual
Brixton, Bronx ou Baixada

A poesia não se perde ela apenas se converte
Pelas mãos no tambor
Que desabafam histórias ritmadas como único
Socorro promissor

Cada qual com seu James Brown
Salve o samba, hip-hop, reggae ou carnaval
Cada qual com seu Jorge Bem
Salve o jazz, baião, e os toques da macumba
Também

Da macumba também


4 Homem Amarelo

Homem Amarelo
Marcelo Yuka, Falcão, Xandão, Marcelo Lobato, Lauro Farias


O Homem Amarelo do samba do morro
Do Hip Hop, do Santa Marta
Agarraram um louro na descida da ladeira
Malandro da baixada em terra estrangeira

A salsa cubana do negro oriental
Já é ouvida na central
Que pega o buzum, que fala outra língua
Reencontra subúrbios e esquinas

É o comando em mesa de vidro
Que não enumera o bandido
Eu e minha tribo


Só misturando pra ver no que vai dar

Cor da Pele?
Foda-se!


5 Lado B Lado A

Lado B Lado A
Marcelo Yuka, Falcão, Xandão, Marcelo Lobato, Lauro Farias



Se eles são Exu
Eu sou Iemanjá
Se eles matam o bicho
Eu tomo banho de mar
Com o corpo fechado
Ninguém vai me pegar
Lado A lado B
Lado B lado A

No bê abá da chapa quente
Eu sou mais Jorge Ben
Tocando bem alto
No meu walkman
Esperando o carnaval
Do ano que vem
Não sei se o ano
Vai ser do mal
Ou se vai ser do bem

O que te guarda a lei dos homens
O que me guarda a lei de Deus
Não abro mão da mitologia negra
Para dizer que
Eu não pareço com você

Há um despacho
Na esquina pro futuro
Com oferendas
Carimbadas todo dia

E eu vou chegar
Pedir e agradecer
Pois a vitória de um homem
As vezes se esconde
Num gesto forte
Que só ele pode ver

Eu sou guerreiro
Sou trabalhador
E todo dia vou encarar
Com fé em Deus
E na minha batalha

Espero estar bem longe
Quando o rodo passar!
Espero estar bem longe
Quando tudo isso passar


6 Reza Vela

Reza Vela
Marcos Lobato, Rodrigo Vale, Marcelo Falcão, Xandão, Lauro Farias, Marcelo Lobato


A chama da vela que reza
Direto com santo conversa
Ele te ajuda te escuta
Num canto colada no chão as sombras mexem
Pedidos e preces viram cera quente

A fé no sufoco da vela abençoada no dia dormido
O fogo já não existe ali saíram do abrigo
São quase nada
A molecada corre e corre, ninguém tá triste

Se tudo move se o prédio é santo
Se é pobre mais pobre fica
Vira bucha de balão ao som de funk
E apertada tua avenida
A cera foi tarrada
Não se admire

Se tudo move se o prédio é santo
Se é pobre mais pobre fica
Vira bucha de balão ao som de funk
E apertada tua avenida
A tua avenida

A cera foi tarrada
Não se admire
Ta no céu não espere o tiro apenas
Mire
A cera foi tarrada
Não se admire
Tá no céu balão de bucha não espere o tiro apenas
Mire

Depois da benção o peito amassado
É hora do cerol é hora do traçado
Quem não cobre fica no samba atravessado
Sobe balão no céu rezado


7 Se Não Avisar o Bicho Pega

Se Não Avisar O Bicho Pega
Jorge Carioca, Marquinhos PQD, Marcinho



O sangue bom falou pra falar pra você
Se der mole pros home, amizade, o bicho pega (pega, pega!)
Amizade, o bicho pega! (pega, pega!)

O malandro ganhou monareta, uma caixa de fogos e um carretel de linha
Também uma pipa
Que ele botou no alto pra avisar a massa que os cana já vinha
E a moçada que não dá mancada sentiu o aviso e não vacilou
Pois toda favela tem sua passagem e sem caguetagem jamais alguém dançou

Vai ter pipa, foguete e morteiro

Pois lá na favela o olheiro é maneiro, esperto, chinfreiro e não fica às cegas
Até mulher de bandido na hora da dura segura a peteca e nega,
Segura a peteca e nega
E é por isso que o seu compromisso é não ficar omisso e prestar atenção
Pois se der mole no bagulho vai entrar no rodo e não tem perdão

Vai ter pipa, foguete e morteiro, muita bala e morteiro


8 Rodo Cotidiano

Rodo Cotidiano
Marcos Lobato, Marcelo Falcão, L.Farias, Xandão, Marcelo Lobato


Ô Ô Ô Ô Ô, my brother

A ideia lá comia solta
Subia a manga amarrotada social
No calor alumínio, nem caneta nem papel
Uma ideia fugia

Era o rodo cotidiano

Espaço é curto quase um curral
Na mochila amassada uma quentinha abafada
Meu troco é pouco, é quase nada

Ô Ô Ô Ô Ô my brother

Não se anda por onde gosta
Mas por aqui não tem jeito, todo mundo se encosta
Ela some é lá no ralo de gente
Ela é linda mas não tem nome
É comum e é normal

Sou mais um no Brasil da Central
Da minhoca de metal que corta as ruas
Da minhoca de metal, é!
Como um concorde apressado cheio de força
Que voa, voa mais pesado que o ar
E o avião, o avião, o avião do trabalhador

Ô Ô Ô Ô Ô my brother

Espaço é curto quase um curral
Na mochila amassada uma vidinha abafada
Meu troco é pouco, é quase nada 


9 Não Perca as Crianças de Vista

Não Perca as Crianças de Vista
Xandão, Lauro Farias, Marcelo Lobato, Marcelo Falcão


Pra enxergar o infinito
Debaixo dos meus pés
Não basta olhar de cima
E buscar no escuro, no obscuro
A sombra que me segue todo dia

Deixo quieto
E seguro as páginas dos sonhos que não li
E outra vez não me impeço de dormir

Os jornais não me informam mais
E as imagens não são tão claras
Como a vida
Vou aliviar a dor e não perder
As crianças de vista

Não perca as crianças de vista

Família, um sonho ter uma família
Família, um sonho de todo dia

Família é quem você escolhe pra viver
Família é quem você escolhe pra você
Não precisa ter conta sanguínea
É preciso ter sempre um pouco mais de sintonia


10 Pescador de Ilusões

Pescador de Ilusões
Marcelo Yuka, Falcão, Xandão, Lauro Farias, Marcelo Lobato


Se meus joelhos
Não doessem mais
Diante de um bom motivo
Que me traga fé

Se por alguns
Segundos eu observar
E só observar
A isca e o anzol

Ainda assim estarei
Pronto pra comemorar
Se eu me tornar
Menos faminto
E curioso

O mar escuro
Trará o medo
Lado a lado
Com os corais
Mais coloridos

Valeu a pena
Êh! Êh!
Sou pescador de ilusões

Se eu ousar catar
Na superfície
De qualquer manhã
As palavras
De um livro
Sem final!


11 O Salto

O Salto
Carlos Pombo, Marcelo Falcão, Lauro Farias, Marcelo Lobato, Xandão



As ondas de vaidade inundaram os vilarejos
E minha casa se foi como fome em banquete
Então sentei sobre as ruínas
E as dores como o ferro e a brasa e a pele
Ardiam como o fogo dos novos tempos

E regar as flores do deserto
E regar as flores com chuva de insetos

Mas se você ver em seu filho
Uma face sua e retinas de sorte
E um punhal reinar como o brilho do sol
O que farias tu
Se espatifaria ou viveria
O espírito santo

Aos jornais
Eu deixo meu sangue como capital
E às famílias o punhal
À corte eu deixo o sinal


12 Papo de Surdo e Mudo

Papo de Surdo e Mudo
Marcos Lobato, Lauro Farias, Xandão, Marcelo Lobato, Marcelo Yuka


O nascimento de uma alma é coisa demorada
Não é partido ou jazz em que se improvise
Não é casa moldada laje que suba fácil
A natureza da gente não tem disse me disse

No balcão do botequim a prosa tá parada
Não se fala da vida, não acontece nada

Se não faltasse trabalho no meio do barulho
O dia sobra e sobra muito
Papo de surdo e mudo

Ela não passa de onda paisagem fluminense
Parece dia de festa todo mundo presente
Se soubesse rimar faria um samba antigo
Onde reina a calma e todo mundo é amigo

O calor é sólido um pedaço eu sinto
Como um bafo e a cachaça
Queima bem forte vibrante e forte
Estaria maluco se não estivesse junto


13 Eu Quero Ver Gol

Eu Quero Ver Gol
Marcelo Falcão, Xandão, Lauro Farias, Marcelo Lobato, Marcelo Yuka


Batuque, balanço, swing, praia e carnaval
Hoje no pé do morro tem ensaio geral
Eu quero ver gol
Não precisa ser de placa eu quero ver gol

Dois dias sem dormir chega domingo de manhã,
Fica difícil passar sem um banho de mar
Tem a distância lotação, tumulto e então,
Tô no favelinha, peguei fora da linha

Méier-Copacabana é o bonde ideal,
No ponto final o rebu é total
Pular pela janela pro bonde é normal
Zuando no asfalto, zuando na areia
Quando chegar na água vou me acabar
Quando chegar na água jacaré o que vai dar porque

Eu quero ver gol
Não precisa ser de placa, eu quero ver gol

Tem limão, tem mate, melancia fatiada,
O globo sal e doce, dragão chinês
Tô no rango desde as 2 e a lombra bateu
O jogo é as 5 e eu sou mais o meu

Tô com a geral no bolso garanti o meu lugar
Vou torcer, vou xingar pro meu time ganhar porque


Aviso legal: o conteúdo hospedado em orappa.com.br é de responsabilidade da banda O Rappa.